XIII Congresso Brasileiro de Neurocirurgia Pediátrica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Evolução estético-funcional de crianças com ptose palpebral congênita submetidas a eletroestimulação e kinesio taping

Objetivo

Consistiu em avaliar retrospectivamente, sob aspectos estéticos e funcionais, crianças com ptose palpebral congênita (PPC) submetidas a eletroestimulação e kinesio taping.

Materiais e Métodos/Casuística

Doze pacientes previamente diagnosticados com PPC e submetidos a um protocolo de eletroestimulação funcional (FES) e aplicação de kinesio taping, foram retrospectivamente avaliados, considerando a evolução estética e funcional durante e após o tratamento de habilitação visual, realizado no período de janeiro de 2016 a 2019 em uma clínica de reabilitação visual.

Resultados

Os pacientes tinham faixa etária entre 0 e 12 anos, sendo 7 do sexo feminino e 5 do sexo masculino. Utilizou-se o mesmo protocolo para todos os pacientes. O acompanhamento (através de avaliação da medida da acuidade até os sete anos de idade), evidenciou, em todos os pacientes, eficiência visual ruim, ausência de visão binocular e preferência por um dos lados antes da utilização do protocolo. No entanto, após realização de FES, kinesio taping e reavaliação, observou-se a eficiência visual, boa visão binocular, melhora da acuidade e eixo visual livre. Dez dos doze pacientes não necessitaram de intervenção cirúrgica, tendo alta em até 12 meses. Todas as crianças apresentaram melhora significativa após utilização do protocolo, incluindo as que necessitaram de intervenção cirúrgica.

Discussão e Conclusões

O tratamento da PPC (condição rara caracterizada pela disposição anormal da pálpebra superior) consiste na intervenção cirúrgica e/ou estimulação visual. A FES visa preservar e restaurar a função e força dos músculos alterados, melhorando a dinâmica do controle sensório motor e reestruturando o feedback cutâneo, sendo a concomitante utilização do kinesio taping responsável por aprimorar a amplitude do movimento palpebral. Nesta série de casos, o protocolo proporcionou melhora considerável, estética e funcional, da estrutura muscular dos doze pacientes. A resposta clínica satisfatória leva a uma proposição da utilização da FES associada a kinesio taping para o tratamento de PPC, uma vez que mostrou efetividade tanto como tratamento principal quanto como adjuvante, sendo importante na recuperação pós-operatória. Ressalta-se a necessidade de mais estudos clínicos a fim de comparar a efetividade deste protocolo com os demais tratamentos já estabelecidos.

Referências bibliográficas

Agne JE. Eletroterapia: teoria e prática. Santa Maria: Orium; 2004.

Nakajima MA, Baldridge C. The effect of kinesio® tape on vertical jump and dynamic postural control Int J Sports Phys Ther. 2013;8(4):393-406.

Alves DG. Plicatura e reinserção da aponeurose do músculo levantador da pálpebra superior com sutura contínua na correção
cirúrgica da ptose palpebral leve e moderada-experiência pessoal. Rev Bras Cir Plást. 2014;29(1):39-43

Palavras Chaves

Palavras-chave: Blefaroptose, Estimulação visual, Fisioterapia

Área

Áreas Afins

Instituições

THERAPIAS HABILITAÇAO PEDIATRICA - Ceara - Brasil

Autores

Raquel De Lima Souza Albuquerque, Ianna Ribeiro Oliveira Lemos, Luciola Kelly de Moraes Coelho, Fernanda Andréa Bezerra Perdigão Leão