XIII Congresso Brasileiro de Neurocirurgia Pediátrica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Epilepsia na criança: uma revisão de literatura.

Objetivo

Revisar e analisar casos de epilepsia pediátrica e suas evoluções, possíveis comorbidades e complicações associadas. Tal tema justifica-se devido à desintegração das informações, objetivando unir os conhecimentos.

Materiais e Métodos/Casuística

Trata-se de uma revisão de literatura que tem como metodologia a busca de informações nas plataformas PMC e SciELO. Os critérios de inclusão foram artigos publicados entre 2009-2017, dos tipos descritivos, analíticos e intervencionistas. Os descritores utilizados foram: “Epilepsy”; “Pediatric”. Os critérios de exclusão foram artigos de revisão. Os artigos utilizaram critérios diagnóstico da Liga Internacional Contra a Epilepsia e usaram, como amostra, crianças matriculadas em escolas públicas e com epilepsia tratadas pelo Hospital Central da Universidade de Turku, na Finlandia.

Resultados

Em sua maioria os diagnósticos de epilepsia foram realizados em crianças acima de cinco anos. No grupo etário abaixo deste, o gênero feminino predominou, já na infância tardia os meninos foram os mais acometidos. Percebeu-se a relação entre história familiar e epilepsia. A Epilepsia Benigna com Pontas Centro temporais foi a síndrome epiléptica mais frequentemente verificada. Em mais da metade dos avaliados foi realizado exame de neuroimagem, verificando-se alterações em sua maioria. Metade apresentou nova crise após a primeira e a maioria controla com regime de monoterapia. Detectou-se de maneira expressiva a presença de comorbidades, sendo as mais frequentes: atraso no desenvolvimento psicomotor, perturbação de hiperatividade e déficit de atenção. Dentre as possíveis complicações, a literatura afirma que desordens no comportamento e na cognição são significativamente mais presentes em pacientes com epilepsia complicado. Em relação as habilidades sociais, foi visto que boa parte dos pacientes possuem dificuldade para se expressar e para construir novas amizades.

Discussão e Conclusões

Levando em consideração o exposto, a epilepsia é uma enfermidade crônica que afeta o desenvolvimento cognitivo e social da criança, contribuindo com a piora da qualidade de vida, além de uma progressão do grau de vulnerabilidade da criança no que se tange às dificuldades no desenvolvimento individual. Desse modo, para que haja um desempenho escolar e social satisfatório, torna-se essencial o trabalho conjunto entre pais, professores e profissionais de saúde, proporcionando à criança um ambiente de aceitação que permita seu desenvolvimento de modo adequado.

Referências bibliográficas

Palavras Chaves

Epilepsy; Pediatric; Criança.

Área

Áreas Afins

Instituições

UNIFOR - Ceara - Brasil

Autores

Guilherme Van Der Linden Fialho, Amanda de Andrade Cavalcante, Jadson de Braga Chaves, Lara Fernandes Fonteles, Lília Sousa Martins de Alcântara Meireles, Lucas Nunes Ferreira Andrade, Rayssa Nogueira Surima