XIII Congresso Brasileiro de Neurocirurgia Pediátrica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Causas de AVCH em Campina Grande-PB

Objetivo

Avaliar as causas de AVCH espontâneos em Campina Grande –PB, tendo em vista a alta morbiletalidade decorrente deste evento

Materiais e Métodos/Casuística

Trata-se de um estudo retrospectivo, descritivo, com abordagem de 60 prontuários de dados de pacientes de 2 meses de idade até 15 anos, internados em um hospital terciário em Campina Grande-PB, Brasil, que receberam diagnóstico não traumático de janeiro de 2010 a dezembro de 2018. Foram coletados com um prontuário médico padronizado, organizado em planilhas eletrônicas.

Resultados

As mal formações vasculares foram responsáveis pelo maior número: MAV 23,33% (n=14), aneurisma cerebral com 10%(n=6). Outras causas foram: distúrbio coagulação , pós medicação, vasculites perfazendo um total de 6,66% (n=4) dos casos registrados individualmente. Já as originadas pós meningite, tumores cerebrais, HAS , sepse cada um com 5%(n=3). Trombose venosa profunda, pós quimioterapia, leucemias cada uma com 3,33%(n=2). Por fim, causas menos frequentes, porém igualmente importantes, dados os desfechos , foram: doença de von willebrand, hemofilia, Linfoma, insuficiência hepática, pós radioterapia, doença moyamoya, angiopatia amiloide juvenil , lúpus, trombocitopenia e HIV, todos com 1,66%(n=1) cada.

Discussão e Conclusões

os resultados obtidos nesse levantamento corroboram com os dados vigentes atualmente na literatura, sendo as malformações vasculares as mais prevalente sobre as demais causas. Alguns dados na literatura apontam para uma frequência que vai de 38 a 74 por cento dos casos de hemorragia intracerebral na infância. Embora o AVC em crianças seja relativamente raro em comparação com adultos, é uma causa significativa de morte na infância e incapacidade vitalícia. Um derrame sofrido na primeira década pode causar seqüelas funcionais por várias décadas. A incidência estimada de AVC em crianças varia de 2 a 13 por 100.000 crianças por ano no mundo desenvolvido .

Referências bibliográficas

1. Saver JL, Warach S, Janis S, et al. Standardizing the structure of stroke clinical and epidemiologic research data: the National Institute of Neurological Disorders and Stroke (NINDS) Stroke Common Data Element (CDE) project. Stroke 2012; 43:967.
2. Broderick JP, Phillips SJ, Whisnant JP, et al. Incidence rates of stroke in the eighties: the end of the decline in stroke? Stroke 1989; 20:577.

Palavras Chaves

AVCH, espontânio, população pediátrica

Área

Neurocirurgia Pediátrica

Instituições

Hospital Dom Luiz Gonzaga Fernandes - Paraiba - Brasil

Autores

Keyvid dos Santos Pereira, Marcos Antonio Xavier de Lima Júnior, Taianara Sampaio Reis, Tatiane Bezerra dos Santos Bezerra dos Santos, Rafaela Alves de Souto, Vitor Camboim Nobre, Alfredo Daniel de Sousa Neto, Amauri Pereira da Silva Filho