XIII Congresso Brasileiro de Neurocirurgia Pediátrica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Relato de técnica e resultados da rizotomia ventral e dorsal para tratamento paliativo da distonia grave em paralisia cerebral

Objetivo

A distonia devido à paralisia cerebral é uma entidade grave e com alto impacto na qualidade de vida da criança e dificuldade extrema para os cuidadores. Os autores descrevem dois casos de crianças que foram submetidas à rizotomia ventral e dorsal para alívio da espasticidade e distonia.

Materiais e Métodos/Casuística

Dois pacientes portadores de espasticidade grave GMFCS V e com distonia importante foram submetidos a rizotomia ventral e dorsal. As crianças inicialmente foram submetidas a tratamento clínico com reabilitação física e utilização de medicamentos como: baclofeno, tizanidina, diazepam e triexifenidil. Como houve pouca melhora da distonia, foram submetidos a aplicações de toxina botulínica. Em ambos os casos foram observadas artropatias, dores na manipulação e sedação com o aumento das doses medicamentosas. Foram avaliadas as opções de tratamento e optado pela realização de rizotomia ventral e dorsal, com secção de 50% das raízes motoras e 80% das dorsais. Inicialmente na região lombar e no segundo tempo na região cervical.

Resultados

O paciente 1, tinha 12 anos de idade no momento da primeira cirurgia, sendo submetido 30 dias depois a cirurgia cervical. Não apresentou intercorrências cirúrgicas e apresentou melhora da espasticidade dos membros e diminuição dos movimentos distônicos. Houve melhora da posição em opistótono, apesar da espasticidade de tronco não ter melhorado significativamente. As dores no quadril e na lombar cessaram. Os cuidadores relataram melhora importante no cuidado.
O paciente 2 tinha 14 anos no momento da cirurgia, apresentou retenção urinária sendo necessário cateterismo intermitente. Apresentou melhora significativa da distonia nos membros e na região cervical.

Discussão e Conclusões

O tratamento inicial da distonia é com medicamentos, mas nos casos graves a resposta é limitada. Diante deste quadro as opções cirúrgicas são divididas em procedimentos ablativos e moduladores da distonia e da espasticidade. Entre os procedimentos cirúrgicos moduladores estão a estimulação cerebral profunda (DBS) e a bomba de baclofeno. Os procedimentos ablativos destacam-se a palidotomia e as rizotomias. Pacientes com impossibilidade de cirurgias moduladoras podem se beneficiar de cirurgias ablativas.
A rizotomia é uma cirurgia extensa ainda mais envolvendo dois segmentos da coluna, mas apresentaram bom resultado, principalmente na melhora dos cuidados paliativos das crianças.

Referências bibliográficas

Combined ventral and dorsal rhizotomies for dystonic and spastic extremities. J Neurosurg. 2007 Oct;107(4 Suppl):324-7. Albright AL, Tyler-Kabara EC.

Palavras Chaves

rizotomia, espasticidade, distonia

Área

Neurocirurgia Pediátrica

Instituições

Rede Sarah de Hospitais de Reabilitação - Ceara - Brasil

Autores

Ricardo Amoreira Gepp, Henrique Caetano Souza, Marco Rolando Sainz Quiroga