XIII Congresso Brasileiro de Neurocirurgia Pediátrica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Cisto ósseo aneurismático cervical pediátrico: qual o melhor tratamento? Relato de caso e revisão de literatura.

Objetivo

O objetivo do nosso trabalho é apresentar um interessante caso de um cisto ósseo aneurismático cervical pediátrico (COAP) que foi submetido a embolização e depois a cirurgia. Por fim, discorrer sobre o respectivo tema e o que há de mais atual na literatura, focando nos principais tratamentos, já que ainda há uma grande incerteza em relação à terapêutica mais adequada.

Materiais e Métodos/Casuística

Foi feito o acompanhamento e a revisão de prontuário do paciente. Além disso, pesquisamos referências na plataforma "PUBMED" com as palavras "Aneurysmal bone cyst cervical children/pediatric" onde obtivemos 113 resultados, dos quais 32 foram selecionados por uma maior compatibilidade com o nosso objetivo principal.

Resultados

Paciente, 10 anos, chega ao serviço de emergência pediátrica por dor e massa cervical posterior e alteração da marcha iniciando há 2 meses após queda. Realizou RNM que demonstrou lesão expansiva sólido-cística envolvendo principalmente os elementos do arco posterior de C7 e C6, estenose do canal medular adjacente e foraminal. Inicialmente foi realizado tratamento medicamentoso com dexametasona para diminuição da dor e e do edema. Após a biopsia revelar COA, indicou-se embolização. A clínica do paciente acabou evoluindo para paraplegia, paresia de membros inferiores e bexiga neurogênica além do aumento do tumor após o procedimento. Finalmente o paciente foi submetido à cirurgia de excisão subtotal. 4 meses pós-cirurgia, paciente recuperou o controle esfincteriano, a sensibilidade nos membros superiores e inferiores e apresentou melhora leve dos movimentos dos membros, principalmente dos membros superiores. A progressão ou sintomas neurológicos devem justificar a excisão cirúrgica. Os tratamentos disponíveis são radioterapia, embolização e excisão cirúrgica. Existem outros tratamentos desenvolvidos, como a injeção de metilprednisolona e calcitonina ou de doxiciclina. Embora esta doença seja muito agressiva houveram casos de remissão espontânea. Entretanto, cada tratamento apresenta suas próprias contra-indicações e estão reservadas a momentos clínicos específicos, necessitando de uma avaliação individualizada.

Discussão e Conclusões

O COAP possui uma apresentação variada, desde um quadro totalmente benigno e assintomática até a perdas de função severas. Por isso torna-se necessário conhecer as possíveis evoluções clínicas do COAP e os possíveis métodos de tratamento para a sua condução efetiva.

Referências bibliográficas

Palavras Chaves

Cisto ósseo aneurismático; Pediátrico; Tratamento.

Área

Neurocirurgia Pediátrica

Instituições

Universidade Federal do Ceará - Ceara - Brasil

Autores

Anderson Alexsander Rodrigues Teixeira, Bruno Nunes Ferraz de Abreu, Vitor Amorim Falcão, Gislane Rocha Vasconcelos, Carlos Gustavo Hirth, Carlos Eduardo Barros Jucá