XIII Congresso Brasileiro de Neurocirurgia Pediátrica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Oligodendroglioma Pediátrico

Objetivo

A Organizacao Mundial de Saúde (OMS) divide em Oligodendrogliomas Grau II e Oligodendrogliomas Anaplasico Grau III e com surgimento ocorrendo nas faixas etária de 35 a 55 anos e pico de incidência aos 45 anos. Oligodendrogliomas são tumores raros na população pediátrica ocorrendo em ate 1% dos tumores Sistema Nervoso Central e 5% a 16% dos Gliomas pediátricos, limitando assim o numero de casos e a avaliação em estudos para melhor caracterização dessa entidade.

Materiais e Métodos/Casuística

As informações contidas neste relato foram baseadas na revisão de prontuário, coleta de exames de imagem, vídeo e anatomopatologia da paciente.

Resultados

PMG, Feminino, 3 anos 11meses, historia de crise convulsiva de difícil controle desde 8 meses idade, realizou Ressonância Magnética Crânio evidenciando lesão cística medindo 4,4x3,5x4,4cm com finos septos de permeio de aspecto microcistos em córtex frontal direito associada a espessamento e aumento sinal dos giros adjacentes, sem restrição a difusão, sem perfusão aumentada ou impregnação expressiva de constraste. Historia clinica e imagem foram inqueridos seguintes hipóteses: DNET, Ganglioglioma, Xantoastrocitoma pleomorfico. Paciente foi submetida craniotomia frontal direita, ressecção tumoral guiada por neuronavegacao e respeitando a interface de parênquima normal, sem evidencia lesão residual macroscópica. Anatomopatológico revelou Oligodendroglioma Grau II pediátrico, perfil imunohistoquimico com Ki 67: 8% de índice proliferação celular (“hot spot”) com nota especificando que valores Ki 67 superiores a 4% sugere comportamento mais agressivo da lesao com maior chance de recindiva tumoral.

Discussão e Conclusões

A Caracterização de fatores prognósticos, apresentações clinico patológicas nos oligodendrogliomas pediátricos, são limitadas pelo diminuto numero de casos e estudos dessa entidade rara. Neste relato de caso atentamos para importância da apresentação da doença e diagnostico precoce, visando o melhor planejamento cirúrgico, como a ampla ressecacao tumoral, fator que mais corrobora para maior sobrevida e maior tempo livre de doença. Em considerando a primeira infância, o tratamento com Radioterapia na maioria da vezes não e factível devido a baixa idade e os efeitos colaterais não desprezíveis. Contudo oligodendrogliomas são considerados como tumores quimiosensíveis, observa-se nessa faixa etária que a co-deleção 1p19q não se mostra tão freqüente quanto nos adultos, fator considerado, para boa resposta aos quimioterápicos.

Referências bibliográficas

Ozyigit G, Onal C, Gurkaynak M, et al. Postoperative radiotherapy and chemotherapy in the management of oligodendroglioma: single institutional review of 88 patients. J Neurooncol. 2005;75:189–193.
Van den Bent MJ, Brandes AA, Taphoorn MJ, et al. Adjuvant procarbazine, lomustine, and vincristine chemotherapy in newly diagnosed anaplastic oligodendroglioma: long-term follow-up of EORTC brain tumor group study 26951. J Clin Oncol. 2013;31:344–350.
Portia A. Kreiger Æ Yoshifumi Okada Æ Scott Simon Lucy B. Rorke Æ David N. Louis Æ Jeffrey A. Gold. Losses of chromosomes 1p and 19q are rare in pediatric oligodendrogliomas; Acta Neuropathol (2005) 109: 387–392 DOI 10.1007/s00401-004-0976-2
Chieh-Tsai Wu, MD, Pei-Kwei Tsay, PhD,w Tang-Her Jaing, MD,z Shih-Hsiang Chen, MD,z Chen-Kan Tseng, MD,y and Shih-Ming Jung, MD; Oligodendrogliomas in Children: Clinical Experiences With 20 Patients; J Pediatr Hematol Oncol 2016;38:555–558).
Raghavan R, Balani J, Perry A, Margraf L, Vono MB, Cai DX, Wyatt RE, Rushing EJ, Bowers DC, Hynan LS, White CL 3rd (2003) Pediatric oligodendrogliomas: a study of molecular alterations on 1p and 19q using fluorescence in situ hybrid- ization. J Neuropathol Exp Neurol 62:530–537
WHO classification of tumours of the central nervous system / edited by David N. Louis, Hiroko Ohgaki, Otmar D. Wiestler, Webster K. Cavenee. - Revised 4th edition.

Palavras Chaves

pediatric, oligodendrogliomas, molecular alterations, tumour, chemotherapy, radiotherapy

Área

Neurocirurgia Pediátrica

Instituições

INSTITUTO NACIONAL DE CANCER - Rio de Janeiro - Brasil

Autores

LUIZ CARLOS BRAGA, MARCIO MIRANDA CHAVES CHRISTIANI, ANTONIO AVERSA DUTRA SOUTO