XIII Congresso Brasileiro de Neurocirurgia Pediátrica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

A prevalência da hidrocefalia em dois países com desenvolvimento socioeconômico distintos : uma Revisão de Literatura

Objetivo

Revisar as causas associadas à hidrocefalia, destacando dados epidemiológicos comparativos de sua incidência no Brasil e nos Estados Unidos. A relevância do tema incide em debater sobre a prevalência da hidrocefalia em 2 países com desenvolvimento socioeconômico distintos.

Materiais e Métodos/Casuística

Trata-se de uma revisão de literatura que busca por informações na literatura brasileira e internacional, com o auxílio das plataformas SciELO e MEDLINE a respeito da hidrocefalia. Os critérios de inclusão foram artigos publicados no período de 2009-2018 sobre hidrocefalia infantil. Já os critérios de exclusão foram os artigos de revisão sobre o mesmo tema.

Resultados

De acordo com Leme (2018), a hidrocefalia atinge, no mundo, cerca de 1 em cada 500 crianças nascidas. Nos estudos de Kahle (2016) é visto que, nos Estados Unidos, a prevalência é menor que 1 caso por 1000 habitantes. Sabe-se que a prevalência no Brasil é estimada entre 10 e 15 por 1.000 nascimentos.

Discussão e Conclusões

A hidrocefalia é definida como o excesso de líquido cefalorraquidiano nos ventrículos ou no espaço subaracnóide. Pode ter origem congênita, tendo como causa estenose congênita do aqueduto, defeito no tubo neural, malformações da fossa posterior, cistos de desenvolvimento e atresia congênita do forame de Monro, ou adquirida, tendo como fatores desencadeante os processos inflamatórios, neoplasias e disfunções vasculares. A hidrocefalia congênita está mais relacionada com o grau de desenvolvimento socioeconômico do país, sendo influenciada pelo investimento em medidas preventivas, como a prescrição do ácido fólico, e pelo nível de instrução da população que viabiliza a busca ativa por parte das mães do atendimento e acompanhamento. Como é evidenciado em estudos, o Brasil, por ser um país ainda em desenvolvimento, mostra-se com carência no acompanhamento e desenvolvimento de um bom pré-natal, tendo deficiência na adesão ao tratamento preventivo com ácido fólico. Diferentemente de países desenvolvidos, como os Estados Unidos, que apresentam menor incidência.
A prevalência da hidrocefalia está intrinsecamente relacionada com o nível de desenvolvimento socioeconômico de um país. Nesse aspecto, destacamos a importância de um pré-natal de qualidade, com estrutura e acompanhamento adequado, o que é imprescindível para diminuir a prevalência da hidrocefalia e amenizar suas consequências para o recém-nascido e sua família.

Referências bibliográficas

Palavras Chaves

Hidrocefalia; Desenvolvimento socioeconômicos; Pré-natal de qualidade; Brasil; Estados Unidos.

Área

Áreas Afins

Instituições

UNIFOR - Ceara - Brasil

Autores

JORDANA BARRETO ALVES MELO, GUILHERME VAN DER LINDEN FIALHO, MARIANA GLEUMA FEITOSA CARMO, MARIANA ALBUQUERQUE MONTENEGRO, ALINE SANTOS CORREIA, FRANCISCA DAYANNE BARRETO LEITE, ISABEL VERAS BELEZA, MARIA CLARA HOLANDA LIMA, ANA CATHERINE SAMPAIO BRAGA, AMANDA DE ANDRADE CAVALCANTE, IVNA MONTENEGRO PADILHA HOLANDA VARELA, GILMA MONTENEGRO PADILHA HOLANDA