XIII Congresso Brasileiro de Neurocirurgia Pediátrica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Sinus dérmico occipital- uma malformação para não especialistas?

Objetivo

- Estudo retrospectivo de casuística de Serviço de Neurocirurgia pediátrica de grande centro, com revisão de caso com evolução catastrófica, os diagnósticos diferenciais e avaliação de conduta cirúrgica, bem como revisão da literatura

Materiais e Métodos/Casuística

São revisados 4 casos de sinus dérmico occipital, sendo o diagnostico do caso em questão referido meses antes como encefalocele occiptal. Foram revisados ainda 33 casos de encefalocele occiptal, saculares e planas, com tempo de evolução, exame de imagem e desfecho clínico. Foi avaliada a descrição e conduta cirúrgica, realizada pela mesma equipe, de todos os casos, tanto do sinus , quanto da encefalocele occiptal, sendo descrita a estratégia cirúrgica para ambas patologias.

Resultados

Foram avaliados retrospectivamente 4 casos de sinus dérmico occipital, sendo 3 com evolução satisfatória, e 1 caso com ruptura espontânea do cisto e cirurgia de urgência com exploração do trato e correção. Em 1 caso apresentou infecção grave do SNC, com internação prolongada e prognostico futuro limitado. Foram ainda avaliados 33 casos de encefalocele occipital, com avaliação radiológica, tempo de evolução, diagnostico inicial e resultado cirurgico, todas tratadas com oclusão do ostio, sendo 5 de ausência de condição cirúrgica, devido a presença da torcula ou do tronco no interior do domo, sendo estas de tratamento conservador. As encefalocele obtiveram bons resultados cirúrgicos, bem como os sinus onde se explorou o trato

Discussão e Conclusões

– os sinus dérmicos occipitais são lesões relativamente raras, podendo acometer todo o neuroeixo, sendo a proporção de occipitais para lombares de 4,5:1, sendo de 85% no occipital, contra 11% na região frontonasal. As lesões saculares, associadas a tumores dermoides, pode apresentar evolução catastrófica quando manipuladas inadequadamente sob o ponto de vista cirúrgico. Apresentamos um caso, inicialmente diagnosticado como encefalocele, que foi tratado após a ruptura da cavidade cística, e devido a falta de experiencia do cirurgião inicial, não foi explorada a haste (trato), com fechamento exclusivo e posterior infecção grave do sistema nervoso central. No nosso entender, estas lesões devem ser tratadas por especialista com larga vivência, tanto na patologia, quanto em seus eventuais diagnósticos diferenciais

Referências bibliográficas

Wright RL. Congenital dermal sinuses. Prog Neurol Surg 1971;4: 175–191 2
Smith AS, Benson JE, Blaser SI, Mizushima A, Tarr RW, Bellon EM. Diagnosis of ruptured intracranial dermoid cyst: value of MR over CT. AJNR Am J Neuroradiol 1991; 12:175–180
Schijman E, Monges J, Cragnaz R. Congenital dermal sinuses, dermoid and epidermoid cysts of the posterior fossa. Child’s Nerv Syst 1986; 2:83– 89
Occiptal, dermal Sinus Trat J Pediatr. 2018 Feb;193:276. doi: 10.1016/j.jpeds.2017.10.049. Epub 2017 Nov 22.

Occiptal Dermal sinus complicated with meningitis Arch Pediatr. 2016 Feb;23(2):197-200. doi: 10.1016/j.arcped.2015.11.018. Epub 2015 Dec 24.
Send to
Cranial Dermal sinu : Presentation complication and management Pediatr Neurosurg. 2012;48(2):86-92. doi: 10.1159/000342681. Epub 2012 Sep 29.
Naderi S1, Nejat F, Shahjouei S, El Khashab M.

Palavras Chaves

Sinus dermico, encefalocele, manejo cirurgico

Área

Neurocirurgia Pediátrica

Instituições

Hospital Municipal Jesus - Rio de Janeiro - Brasil, Instituto Fernandes Figueira- Fiocruz - Rio de Janeiro - Brasil

Autores

Antonio Bellas, Tatiana Protzenko, Eduardo Cury