XIII Congresso Brasileiro de Neurocirurgia Pediátrica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Malformação do seio dural com fístulas arteriovenosas em um paciente pediátrico: resultado do sucesso cirúrgico devido a utilição de um duplo time cirúrgico em simultâneo

Objetivo

Descrever o caso clínico de uma paciente que presentava uma malformação complexa do seio dural, e em quem o tratamento foi concluído com fechamento cirurgico da fístula e completando a exérese do saco venoso residual.
Neste caso se descreve a utilização da abordagem cirúrgica mediante o uso de um duplo time cirúrgico bilateral a fim de otimizar o controle da hemostase.

Materiais e Métodos/Casuística

Caso clínico
Paciente de sexo femenino de 4 meses de idade que apresentaba uma fístula dural a predominio direito, muito grande, com aferentes da artéria meníngea meia bilateral como das artérias cerebral anterior e meia direitas, com drenagem ao terço anterior do seio longitudinal superior, conformando um saco venoso que provocava hipertensão endocraniana per se.

Resultados

Foram realizadas quatro embolizações para reduzir o fluxo da lesão e finalmente foi feita a exérese completa do saco venoso residual, sem provocar déficit neurológico nehum na criança.
Devido à idade da paciente e à complexidade do caso, a cirugía foi realizada com time cirúrgico duplo simultaneamente em ambos os lados da linha media.

Discussão e Conclusões

As fístulas arteriovenosas durais (AVFD) provocam uma alta morbidade e mortalidade em pediatria. A mortalidade é de 38% em crianças e 67% em neonatos [3]. Se a torcula estiver envolvida, o resultado é desfavorável em um 71,4% dos casos. O sucesso do tratamento destas FAV por meio de trombose sinusal está mal documentado devido à raridade destas lesões [1].
O tratamento de eleção é o endovascular porque tem menor mortalidade, no entanto, devemos considerar que na maioria dos casos, se requer de várias intervenções para alcançar a missão e assim a maior taxa de curação chegará segúm os diferentes reportes até um 30% [2].O tratamento cirúrgico tem o benefício de curar a doença, mais tem a desvantagem de provocar muitas complicações em mãos não experientes.
Naquelas malformações do saco dural com múltiples aferentes que não podem ser tratadas completamente pela vía endovascular, a opção cirúrgica é uma opção possível a considerar para tratar as fístulas arteriais residuais e completar logo com a ressecção do saco malformado quando gera hipertensão endocraniana.

Referências bibliográficas

1. Barbosa M, Mahadevan J, Weon YC, et al (2003) Dural Sinus Malformations (DSM) with Giant Lakes, in Neonates and Infants. Review of 30 Consecutive Cases. Interv Neuroradiol 9:407–424.
2. Garcia-Monaco R, Rodesch G, Terbrugge K, et al (1991) Multifocal dural arteriovenous shunts in children. Childs Nerv Syst 7:425–431.
3. Lasjaunias P, Magufis G, Goulao A, et al (1996) Anatomoclinical Aspects of Dural Arteriovenous Shunts in Children. Review of 29 cases. Interv Neuroradiol 2:179–191.

Palavras Chaves

Malformação do seio dural- cirurgia- duplo time cirúrgico

Área

Neurocirurgia Pediátrica

Instituições

Hospital nacional de pediatria Juan P Garrahan - - Argentina

Autores

Romina Alejandra Argañaraz, Amparo Sáenz, Eugenia Badaloni, Flavio Requejo, Soraya El Kik, Beatriz Mantese