XIII Congresso Brasileiro de Neurocirurgia Pediátrica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Complicações no tratamento da mielomeningocele fetal

Objetivo

Analisar as complicações obstétricas, neurocirúrgicas e institucionais relacionadas ao tratamento de mielomeningocele fetal.

Materiais e Métodos/Casuística

Foram analisados 35 procedimentos realizados no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo relacionados ao tratamento da mielomeningocele fetal. A idade gestacional da cirurgia variou de 21 a 26 semanas de gestação. Todos os fetos apresentavam sinais ultrassonográficas de Chiari tipo II. O nível da lesão variou de T12 a S1, sendo a lesão com maior extensão de T12 a L5. As complicações relacionadas aos procedimentos foram analisadas.

Resultados

As complicações obstétricas foram: 2 sangramentos histerotomia, 2 bradicardias fetais sendo 1 obito fetal, 4 deiscencias de ferida operatória, 3 atonias uterinas, 3 corioamionite, 1 edema agudo de pulmão materno, 1 lesão de alça intestinal materna, 13 roturas prematuras de membrana, 5 casos prematuridade abaixo de 30 semanas de gestação. As complicações neurocirúrgicas foram: visualização de contusão do placode em 5 casos, 1 abaulamento de ferida pos natal, 1 caso de sintomas de Chiari tipo II pós natal, 9 casos com dificuldade de fechamento de pele, 7 casos de DVP (21%) sendo um caso de ventriculite pós operatória. As complicações institucionais foram 3 nascimentos de procedimentos realizados em outro serviço.

Discussão e Conclusões

O tratamento da mielomeningocele fetal diminui a taxa de derivação ventriculoperitoneal, no entanto apresenta complicações obstétricas, neurocirúrgicas e institucionais que necessitam ser esclarecidas à gestante.

Referências bibliográficas

Palavras Chaves

MIELOMENINGOCELE FETAL

Área

Neurocirurgia Pediátrica

Instituições

hospital das clinicas da faculade de medicina da universidade de sao paulo - Sao Paulo - Brasil

Autores

DANIEL DANTE CARDEAL