XIII Congresso Brasileiro de Neurocirurgia Pediátrica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Alterações venosas em cefaloceles parietais e occipitais

Objetivo

Nosso estudo tem pesquisa sobre cefaloceles posteriores, parietais e occipitais, com ênfase em anomalias venosas, aprofundando o conhecimento na área, através da análise sistemática desses pacientes pela neuroimagem, com intuito de padronizar essas alterações venosas de acordo com tipo de encefalocele.

Materiais e Métodos/Casuística

Os pacientes desse trabalho são crianças recém-nascidas e nascidas na Maternidade Escola Assis Chateaubriand (MEAC), do Hospital Universitário Federal do Ceará (CE), durante Janeiro de 2017 a novembro 2018. A metodologia a ser utilizada será a consulta de imagens, laudos das imagens, histopatológico e dados dos prontuários.
As imagens foram avaliadas com intuito de padronizar as alterações venosas em cada tipo de cefalocele.
Paralelamente, foram avaliados dados referentes a outras alterações encefálicas associadas, como presença de hidrocefalia, microcefalia, agenesia/disgenesia do corpo caloso, disgiria/estenogiria, outras alterações do parênquima encefálico e alterações da fossa posterior.

Resultados

A série de casos inclui 8 pacientes com cefaloceles de localização posterior, principalmente occipital e/ou parietal.
As anomalias associadas mais freqüentemente encontradas neste estudo foram disgenesia do corpo caloso (100%), hidrocefalia (50%), microcefalia (12,5%), disgiria/estenogiria (37,5%), malformações da fossa posterior (62,5%).
As alterações venosas encontradas foram bifurcação do seio sagital superior (50%), hipoplasia do seio reto (50%) e Tórcula de Herófilo ausente ou em posição anômala. Em um dos pacientes, houve herniação de estrutura venosa calibrosa, no caso o seio occipital, para o interior do saco herniário.

Discussão e Conclusões

Cefaloceles são lesões raras do desenvolvimento neurológico. As cefaloceles anteriores e posteriores apresentam sinais, sintomas e considerações cirúrgicas significativamente diferentes, mas compartilham metas comuns de manejo: correção da deformidade, fechamento dural e preservação de elementos neurovasculares funcionais.
A tentativa de sequenciar um provável padrão de alteração venosa, através da neuroimagem, foi proposto nesse estudo, para que a comunicação entre os achados na neuroimagem e manejo pré-operatório e um planejamento cirúrgico sejam facilitados, auxiliando assim na preservação das estruturas nobres cerebrais e melhoria do prognóstico do paciente.

Referências bibliográficas

LO, B. W. et al. Clinical predictors of developmental outcome in patients with cephaloceles. Journal of Neurosurgery: Pediatrics, v. 2, n. 4, p. 254-257, 2008. ISSN 1933-0707.
OHBA, H. et al. Surgical resection of large encephalocele: a report of two cases and consideration of resectability based on developmental morphology. Child's Nervous System, v. 33, n. 3, p. 541-545, 2017. ISSN 0256-7040.
WINN, H. W. H. Youmans Neurological Surgery 17th June 2011, 2011.

Palavras Chaves

cefaloceles; neurorradiologia; neurocirurgia pediátrica;

Área

Áreas Afins

Instituições

HUWC - UFC - Ceara - Brasil, MEAC - Ceara - Brasil

Autores

Nina Maia Pinheiro de Abreu, Daniel Aguiar Dias, Rafael Figueiredo Pontes, Fernando Furtado de Melo Neto, Moyses Loiola Ponte de Souza, Anderson Alexsander Rodrigues Teixeira