XIII Congresso Brasileiro de Neurocirurgia Pediátrica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

TOMOGRAFIA DE CRÂNIO EM SITUAÇÕES DE URGÊNCIA: NECESSIDADE DE DIAGNÓSTICO VERSUS CUSTOS E RADIAÇÃO

Objetivo

Avaliar qualitativamente e quantitativamente os exames de TC de crânio realizados em urgência, relacionando estes dados com as características clínicas dos pacientes.

Materiais e Métodos/Casuística

Estudo observacional retrospectivo nos setores de Radiologia e de Urgência do Hospital Regional da Unimed – Fortaleza, analisando registros e exames de 390 pacientes atendidos no mês de Novembro de 2017 que realizaram TC de Crânio.

Resultados

Foram realizados 390 exames de TC de crânio no período estudado. Destes, apenas 377 tinham dados disponíveis para análise. Foram identificadas 304 tomografias normais e 73 tomografias alteradas. 205 (54,4%) eram do sexo feminino, enquanto 172 (45,6%) pertenciam ao sexo masculino. A idade variou entre sete meses e 102 anos, com média de 46,26 anos (DP ± 27,02). 368 (97,61%) pacientes não necessitaram de contraste para realizar o exame, enquanto 9 (2,39%) utilizaram. As hipóteses diagnósticas de cefaleia, crise convulsiva, AVC e tumor estavam presentes em um total de 37 pacientes com alteração da TC e apresentaram p < 0,05. Os pacientes com sinais e sintomas de cefaleia, queda do estado geral, disartria, déficit focal, náuseas, convulsões e rebaixamento do Glasgow tiveram associação significativa com a ocorrência de exame de tomografia alterado, apresentando p < 0,05. O custo das 390 tomografias de crânio no período estudado foi de R$135.411,90.

Discussão e Conclusões

Em um serviço de emergência, a tomografia computadorizada de crânio (TC) é particularmente benéfica na investigação dos pacientes com as mais variadas queixas. No entanto, há preocupações crescentes de que o exame seja caro e tenha riscos significativos associados à exposição à radiação. É possível observar um aumento da solicitação de tomografias em serviços de emergência e enquanto a utilização aumentou, estudos mostraram que achados clínicos importantes (a sensibilidade diagnóstica e a especificidade do exame) diminuíram.
Esse estudo mostrou que uma grande proporção de exames de tomografia realizados no setor de urgência do hospital estudado não contribuiu para o esclarecimento diagnóstico, representando desperdício de recursos e exposição dos pacientes a riscos desnecessários. É preciso estabelecer critérios para a solicitação de tomografias de crânio em situação de emergência, a fim de evitar estas situações desfavoráveis.

Referências bibliográficas

1) ANDRADE, A.F., MARINO JR, R., MIURA, F.K. et al. ABM/ CFM Projeto diretrizes. Diagnóstico e conduta no paciente com traumatismo craniencefálico leve. Brasil; 2001.

2) ASHA, S. et al. Comparison of radiation exposure of trauma patients from diagnostic radiology procedures before and after the introduction of a panscan protocol. Emergency Medicine Australasia, v. 24, n. 1, p. 43–51, fev. 2012.

3) BAUMANN, B. M. et al. Patient Perceptions of Computed Tomographic Imaging and Their Understanding of Radiation Risk and Exposure. Annals of Emergency Medicine, v. 58, n. 1, p. 1–7.e2, jul. 2011.

4) BERLIN, L. To Order or Not to Order A CT Examination Because of Radiation Exposure: That Is the Question. American Journal of Roentgenology, v. 196, n. 2, p. W216–W216, 23 fev. 2011.

5) BRODER, J. S. CT utilization: the emergency department perspective. Pediatric Radiology, v. 38, n. S4, p. 664–669, 23 nov. 2008.

6) COCO, A. S.; O’GUREK, D. T. Increased Emergency Department Computed Tomography Use for Common Chest Symptoms Without Clear Patient Benefits. The Journal of the American Board of Family Medicine, v. 25, n. 1, p. 33–41, 1 jan. 2012.

7) DALMAZZO. Juciléia et al. Otimização da dose em exames de rotina em tomografia computadorizada: estudo de viabilidade em um hospital universitário. Revista Radiologia Brasileira, Jul/Ago, 2010, 43(4): 24-248.

8) DAMASCENO, BENITO PEREIRA. Envelhecimento cerebral: o problema dos limites entre o normal e o patológico. Arq. Neuro-Psiquiatr., São Paulo , v. 57, n. 1, p. 78-83, Mar. 1999.

9) GRIFFEY, R. T.; SODICKSON, A. Cumulative Radiation Exposure and Cancer Risk Estimates in Emergency Department Patients Undergoing Repeat or Multiple CT. American Journal of Roentgenology, v. 192, n. 4, p. 887–892, abr. 2009.

10) KATAYAMA, H. et al. Adverse reactions to ionic and nonionic contrast media. A report from the Japanese Committee on the Safety of Contrast Media. Radiology, v. 175, n. 3, p. 621–628, jun. 1990.

11) KIRSCH, T. et. al. Computed Tomography Scan Utilization in Emergency Departments: A Multi-State Analysis. The Journal of Emergency Medicine, v. 41 (3), pp: 302-309, 2011.

12) LARA FILHO, Lauro Aparecido et al . Achados tomográficos de pacientes submetidos a tomografia de crânio no pronto-socorro do Hospital Universitário Cajuru. Radiol Bras, São Paulo , v. 46, n. 3, p. 143-148, June 2013 .

13) PALHETA, M.S., NUNES, R.B., TARGINO, M.N. et al. Achados tomográficos dos pacientes vítimas de traumatismo cranioencefálico atendidos no Hospital Metropolitano de urgência e emergência. Rev Para Med. 2009;23(2).

14) PEARCE, M. S. et al. Radiation exposure from CT scans in childhood and subsequent risk of leukaemia and brain tumours: a retrospective cohort study. Lancet (London, England), v. 380, n. 9840, p. 499–505, 4 ago. 2012.

15) PETER, D. J. Radiation Risk Associated With Computed Tomography and High Frequency Emergency Department Users. Annals of Emergency Medicine, v. 49, n. 1, p. 112–113, 1 jan. 2007.

16) ROCHA, C.M.N. Traumatismo cranioencefálico: correlação entre dados demográficos, escala de Glasgow e tomografia computadorizada de crânio com a mortalidade em curto prazo na cidade na cidade de Maceió, Alagoas [tese]. São Paulo, SP: Faculdade de Medicina – Universidade de São Paulo; 2006.

17) RUAN, S.; NOYES, K.; BAZARIAN, J. J. The Economic Impact of S-100B as a Pre-Head CT Screening Test on Emergency Department Management of Adult Patients with Mild Traumatic Brain Injury. Journal of Neurotrauma, v. 26, n. 10, p. 1655–1664, out. 2009.

18) SANTOS, A. C. et. al. Otimização dos Protocolos de Tomografia Computadorizada em Pacientes Pediátricos. Pleiade, 10(20): 94-101, Jul./Dez., 2016.

19) SIERINK, J. C. et al. A multicenter, randomized controlled trial of immediate total-body CT scanning in trauma patients (REACT-2). BMC Emergency Medicine, v. 12, n. 1, p. 4, 30 dez. 2012.

20) STREET, M. et al. Radiation exposure and the justification of computed tomography scanning in an Australian hospital emergency department. Internal Medicine Journal, v. 39, n. 11, p. 713–719, nov. 2009.

21) WANG, C. L. et al. Frequency, Outcome, and Appropriateness of Treatment of Nonionic Iodinated Contrast Media Reactions. American Journal of Roentgenology, v. 191, n. 2, p. 409–415, ago. 2008.

Palavras Chaves

Tomografia. Crânio. Radiação. Emergência. Custos.

Área

Áreas Afins

Instituições

UNICHRISTUS - Ceara - Brasil

Autores

CARLOS EDUARDO BARROS JUCÁ, JOANA CYSNE FROTA VIEIRA, BEATRICE FACUNDO GARCIA, AFONSINA PEREIRA AQUINO