XIII Congresso Brasileiro de Neurocirurgia Pediátrica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Tratamento da compressão medular por neuroblastoma: experiência de um centro brasileiro referência em oncologia pediátrica

Objetivo

Avaliar a eficácia do tratamento com radioterapia e/ ou quimioterapia na resolução dos sintomas neurológicos. Avaliar a necessidade e eficácia do tratamento cirúrgico, quando utilizado, na resolução dos sintomas neurológicos. Avaliar a frequência de deformidade espinhal tardia sintomática ou não nestes pacientes.

Materiais e Métodos/Casuística

Estudo retrospectivo e observacional que avaliou os prontuários de todos os pacientes portadores de neuroblastoma entre 2006 até 2017., com seguimento mínimo de 1 ano.As características clínicas da amostra foram agrupadas para a realização das análises estatísticas. Realizada uma análise comparativa entre os grupos utilizando quando apropriado o teste exato de Fischer ou Qui-quadrado com significância para um p < 0.05 e calculado o Odds ratio com seus respectivos intervalos de confiança.

Resultados

Foram analisados dados de 89 pacientes, divididos em 2 grupos: grupo A (com compressão medular), com 16 pacientes e grupo B, (sem compressão medular), com 73 pacientes. Não houve diferença estatística significante (p<.05) entre os grupos A e B quando comparados por sexo (p=0,5826), nem por idade, usando o corte de 1 ano (p=0.5773), 2 anos (p=0.4124) ou 3 anos (p=0.7675).
Houve um risco 9,3 vezes maior de compressão medular entre os pacientes do estadio III/IV comparados aos do estadio I/II, com intervalo de confiança de 1,1 a 74,5 (p=0.01).
Houve um risco de 7,4 vezes maior de compressão medular nos tumores que estavam fora do retroperitôneo, com intervalo de confiança de 2,1 até 25,6 (p=0.001).
A presença de escoliose foi 16 vezes maior no grupo A quando comparado ao grupo B, com intervalo de confiança de1,6 a 172,3 (p=0.0175).

Discussão e Conclusões

A prevalência de compressão medular nos pacientes foi 18%. Foram associados a compressão medular estádios mais avançados da doença (III e IV) e localização fora do retroperitôneo. As modalidades de tratamento oferecidas de forma isoladas ou combinadas, (cirurgia, quimioterapia e radioterapia) foram eficientes em promover a melhora dos sintomas de compressão medular e o desenvolvimento de deformidade tardia, desde que instituídas antes da instalação de déficit neurológico completo.

Referências bibliográficas


1. Goodman MT, Gurney JG, Smith MA, Olshan AF. Sympathetic nervous system tumors. [A. do livro] LA, Smith, MA, Gurney, JG, et al (Eds), Ries. Cancer Incidence and Survival among Children and Adolescents: United States SEER Program. Bethesda : National Cancer Institute, 1999.
2. Institute, Bethesda (MD): National Cancer. PDQ Pediatric Treatment Editorial Board. Neuroblastoma Treatment (PDQ®): Health Professional Version. In: PDQ Cancer Information Summaries. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK65747/. [Online] 2017 Sep 28.
3. Trahair T, Sorrentino S, Russell SJ, Sampaio H, Selek L, Plantaz D, Freycon C, Simon T, Kraal K, Beck-Popovic M, Haupt R, Ash, De Bernardi B. Spinal Canal Involvement in Neuroblastoma. The Journal of Pediatrics. 294-298, 2017, Vol. 188.

Palavras Chaves

neuroblastoma, compressão medular, deformidade espinhal

Área

Neurocirurgia Pediátrica

Instituições

Unicamp - Sao Paulo - Brasil

Autores

THALLES Passos FERREIRA, HELDER TEDESCHI, ANDREI FERNANDES JOAQUIM, ENRICO GHIZONIE