XIII Congresso Brasileiro de Neurocirurgia Pediátrica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Perfil Epidemiológico dos TCE cirúrgicos em pacientes menores de 16 anos em um centro de trauma

Objetivo

Descrever o perfil epidemiológico dos pacientes menores de 16 anos, vítimas de traumatismos cranioencefálicos cirúrgicos admitidos no Hospital Municipal Miguel Couto.

Materiais e Métodos/Casuística

Estudo retrospectivo onde foram selecionados 41 pacientes vítimas de traumatismo cranioencefálico submetidos a cirurgia, no período entre 01/06/2015 e 31/12/2018, com busca dos dados em prontuários do arquivo médico. Os dados avaliados foram idade, sexo, mecanismo do trauma, Escala de Coma de Glasgow (ECG) de entrada, tipo de lesão, lesões associadas em outros sistemas, tempo de internação, necessidade de reoperação, Glasgow outcome scale(GOS). Os resultados foram obtidos com cruzamento simples dos dados. Os critérios de inclusão utilizados foram pacientes menores de 16 anos vítimas de TCE submetido à neurocirurgia.

Resultados

Os TCE ocorridos nesses pacientes apresentam perfil epidemiológico similar ao da idade adulta, acometendo mais o sexo masculino (58%) do que o feminino. Das 41 cirurgias realizadas nesse período, 26% hemicraniectomia descompressivas, 41% drenagens de hematoma epidural, 21% correção de fraturas. As 4 lesões por projétil de arma de fogo foram em adolescentes de 14-15 anos. Cinqüenta e um por cento dos pacientes deram entrada com ECG no local >9 e aproximadamente 56% saíram com GOS de 5. Foram registrados 5(12%) óbitos, sendo 1 tardio em uma outra reinternação relacionada a complicação clínica do trauma. Um paciente ainda encontra-se internado em estado vegetativo persistente.

Discussão e Conclusões

Os TCE em pacientes incluídos na faixa etária do presente estudo são em sua grande maioria provenientes de áreas pobres e com cuidadores de baixa escolaridade, levantando o questionamento se seria a sua maioria acidentes evitáveis com uma maior vigilância e educação. O aumento da motorização da população associada ao uso de motocicletas em áreas de crescimento desordenado sem a devida proteção também pode ser considerado fatores de causalidade. Junto a isso, em uma cidade como o Rio de Janeiro, alguns casos estão relacionados à violência urbana, principalmente na população adolescente que se encontram mais vulneráveis e expostos a atividades como o tráfico e uso de drogas ilícitas.

Referências bibliográficas

Palavras Chaves

traumatismo cranioencefálico; neurocirurgia pediátrica; pediatria

Área

Neurocirurgia Pediátrica

Instituições

Hospital Municipal Miguel Couto - Rio de Janeiro - Brasil

Autores

Nastassja Cury-Sales, Flavia Abreu, Barbara Contarato Pilon, Raphael Bertani, Raphael Machado, Luiz Felipe Ribeiro, Daniela Von Zuben, Felipe Murad Sampaio, Rodrigo Azeredo Costa, Ruy Monteiro