XIII Congresso Brasileiro de Neurocirurgia Pediátrica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Os Avanços da Abordagem Endoscópica Endonasal no Tratamento de Craniofaringiomas em Crianças

Objetivo

Relatar os principais resultados da abordagem endoscópica endonasal no tratamento cirúrgico de craniofaringiomas em crianças; Descrever os benefícios da técnica endoscópica na ressecção cirúrgica de craniofaringiomas.

Materiais e Métodos/Casuística

Trata-se de uma revisão sistemática realizada conforme o protocolo PRISMA. A amostra final é composta por 15 periódicos selecionados conforme os critérios de inclusão e exclusão. Foram obtidos nas bases de dados PUBMED e BVS. Foram utilizados os seguintes descritores Mesh: “Craniopharyngioma” AND “Endoscopic Neurosurgery” AND “Child”.

Resultados

A abordagem endoscópica esfenoidal tem taxa de recorrência do tumor de 9% após ressecção, em 8,6 anos de seguimento médico. Os resultados mostraram taxas de sequelas neurológicas relativamente baixas. Apresentaram resultados cirúrgicos satisfatórios, com baixas taxas de complicações precoces e tardias, e complicações nasais. Não afeta significativamente o crescimento nasofacial. Cerca de 67% tiveram melhora dos defeitos do campo visual. Em outro estudo, todos os déficits visuais melhoraram após ressecção total.

Discussão e Conclusões

Craniofaringiomas são tumores benignos localizados na região selar e região suprasselar. A abordagem endoscópica endonasal fornece várias vantagens em comparação com a craniotomia tradicional para ressecção do craniofaringioma, incluindo uma vista panorâmica das estruturas neurovasculares do plano suprasselar e, acima de tudo, uma maior exposição das áreas subquiasmáticas e retroquiasmáticas, pedúnculo e o eixo do infundíbulo. A abordagem endoscópica endonasal confere maior orientação de imagem que permite a perfuração segura da base do crânio e do seio para permitir o acesso ao tumor. Ademais, permite uma melhora em curto prazo da disfunção visual. Permite a identificação de pequenos vasos em risco por lesão e resultar em redução do sangramento intraoperatório que consiste numa grande preocupação na cirurgia pediátrica. Também é mais rápida e eficaz. Permite visão direta do campo cirúrgico e portanto, praticamente eliminando o risco de curetagem às cegas. Desse forma, os estudos clínicos têm demonstrado resultados que confirmam a viabilidade e a eficácia da abordagem endoscópica endonasal para tratamento definitivo do craniofaringioma na população pediátrica.

Referências bibliográficas

Palavras Chaves

Craniopharyngioma. Endoscopy. Pediatric brain tumors.

Área

Neurocirurgia Pediátrica

Instituições

FACULDADE DE MEDICINA ESTÁCIO DE JUAZEIRO DO NORTE - Ceara - Brasil

Autores

Sâmia Israele Braz do Nascimento, Luís Matheus Gomes Bezerra, Ana Beatriz Vieira da Cunha Lopes, Reginaldo Pinto Pereira Filho, Yohanna Karen dos Santos Silva, Airton César Pinheiro de Menezes, José Correia Saraiva Júnior