XIII Congresso Brasileiro de Neurocirurgia Pediátrica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Os Avanços da Cirurgia Fetal para Correção da Mielomeningocele

Objetivo

Descrever os desfechos de casos de mielomeningocele submetidos à neurocirurgia fetal; Destacar os resultados neurológicos em crianças submetidas à intervenção cirúrgica fetal.

Materiais e Métodos/Casuística

Trata-se de uma revisão sistemática realizada conforme o protocolo PRISMA. A amostra final é composta por 15 periódicos selecionados conforme os critérios de inclusão e exclusão. Foram obtidos nas bases de dados PUBMED e SCOPUS. Foram utilizados os seguintes descritores Mesh: “Myelomeningocele” AND “Intrauterine treatment” AND “Postnatal surgical”.

Resultados

Os resultados do Management of Myelomeningocele Study (MOMS) mostraram que 42% dos pacientes submetidos à cirurgia pré-natal conseguiram deambular de forma independente, sem órteses, em torno de 30 meses após o nascimento, versus 21% dos que foram submetidos à cirurgia pós-natal. Em outra análise, os escores neurocognitivos da maioria de crianças submetidas à correção fetal estavam na média e num ponto adequado para idade escolar. Em se tratando do nível de lesão anatômica pré-natal por ultrassonografia, constatou-se uma melhora motora funcional por pelo menos um nível em 55% dos neonatos. Em outro estudo, todos os neonatos foram adequados para a idade gestacional. Nenhum dos bebês teve sinais ultrassonográficos de anormalidades do trato urinário no pós-natal. Além disso, 83% não apresentaram morbidade.

Discussão e Conclusões

A mielomeningocele (MMC) é caracterizada pela protrusão das meninges e medula espinhal através de arcos vertebrais abertos. Possui alta incidência em todo o mundo, afetando cerca de 1,9 por 10.000 nascidos vivos no Brasil e entre 0,5 e 1,0 por 10.000 nos Estados Unidos. A intervenção cirúrgica fetal tem possibilitado tratamento precoce e prognóstico com resultados neurológicos satisfatórios na correção da mielomeningocele. A intervenção fetal para MMC pode melhorar a hidrocefalia, além reduzir a necessidade de shunt ventriculoperitoneal. Além disso, o desenvolvimento de abordagens minimamente invasivas para a cirurgia fetal de MMC pode não só minimizar trabalhos de parto prematuros mas também permitiria cobertura pré-natal da lesão muito mais cedo do que o atualmente realizado. Dessa forma, a cirurgia fetal da mielomeningocele oferece melhor prognóstico neurológico e psicomotor após o nascimento, reduzindo a necessidade de shunt ventriculoperitoneal, além de duplicar a chance de deambulação em fetos submetidos à cirurgia intrauterina.

Referências bibliográficas

Palavras Chaves

Intrauterine surgery. Myelomeningocele. Postnatal results.

Área

Neurocirurgia Pediátrica

Instituições

FACULDADE DE MEDICINA ESTÁCIO DE JUAZEIRO DO NORTE - Ceara - Brasil

Autores

Sâmia Israele Braz do Nascimento, Danilo Vieira Gomes, Ênio Lima Sousa, Jeferson Steves Saraiva, Evilto do Nascimento Correia Júnior, Airton César Pinheiro de Menezes, José Correia Saraiva Júnior