XIII Congresso Brasileiro de Neurocirurgia Pediátrica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Neoplasias do sistema nervoso central no primeiro ano de vida: série de casos do HBDF

Objetivo

O objetivo desse estudo é realizar uma análise geral dos tumores do sistema nervoso central (SNC) operados em crianças no primeiro ano de vida. A partir disso, traçar um comparativo com os resultados da literatura.

Materiais e Métodos/Casuística

Realizado um estudo descritivo, retrospectivo, não controlado, caracterizado como uma série de casos. Foram incluídas no estudo crianças com até 11 meses e 29 dias de vida, operadas devido a tumor do SNC no Hospital de Base do Distrito Federal, no período de 2012 até 2017. Todos os paciente tiveram ao menos 1 ano de acompanhamento. Os critérios de exclusão foram: diagnóstico de lesões não neoplásicas e dados insuficientes em prontuário. A partir dos dados coletados, foi realizada uma revisão dos prontuários de cada paciente a partir de uma pesquisa no prontuário eletrônico. Foram extraídos dados dos prontuários como idade, sexo, sintomas/sinais iniciais, grau de ressecção na cirurgia, tipo histológico, reoperação para nova ressecção tumoral, existência de tratamento oncológico e a mortalidade pós-operatória ou geral.

Resultados

Foram incluídos neste estudo 17 pacientes. A proporção masculino/feminino foi de 1,43:1, quanto à localização dos tumores, 70,6% eram no compartimento supratentorial, 11,7% no infratentorial e 17,6% na coluna vertebral. Os sinai/sintomas de hipertensão intracraniana foram mais prevalentes, ocorrendo em 58,8% das crianças. Na primeira cirurgia houve ressecção macroscópica completa (GTR) em 47% dos pacientes, parcial em 35,3% e apenas biópsia em 17,6%. Quanto à histologia, houve um predomínio de subtipos embrionários e derivados do plexo coroide. Foram diagnosticados 4 tumores originários do plexo coroide (23,5%), sendo 3 papilomas e 1 carcinoma. Dez crianças foram submetidas a tratamento quimioterápico e nenhuma realizou radioterapia. A mortalidade foi de 35,3%, e destas, 11,8% foram consideradas mortalidades cirúrgicas.

Discussão e Conclusões

Larouche et al. (2007), em sua revisão sistemática, demonstrou que os tumores eram supratentoriais em 66,1%, dado semelhante ao nosso estudo que foi de 70,6%. Nesta revisão, houve uma predominância de astrocitoma (30,6%), diferente do nosso estudo que demonstrou uma predominância de tumores do plexo coroide (23,5%). Mehrotra et al. (2009) relataram uma mortalidade de 56%, sendo 22% cirúrgicas. Isso demonstra que nossa taxa de mortalidade de 35,3%, sendo 11,8% cirúrgicas é adequada e menor que algumas séries.

Referências bibliográficas

C. DI ROCCO, A. IANNEUI, and A. C. Intracranial tumors of the first year of life A cooperative survey of the 1986-1987 Education Committee of the ISPN. v. 7, n. June, p. 150–153, 1990.
MEHROTRA, N. et al. Intracranial tumors in first year of life: The CHEO experience. Child’s Nervous System, v. 25, n. 12, p. 1563–1569, 2009.
LAROUCHE, V. et al. Tumors of the Central Nervous System in the First Year of Life. Pediatr Blood Cancer, v. 49, p. 1074–1082, 2007.

Palavras Chaves

tumor cerebral pediátrico, tumor de SNC, tumor cerebral congênito

Área

Neurocirurgia Pediátrica

Instituições

Hospital de Base do Distrito Federal - Distrito Federal - Brasil

Autores

Paulo Augusto Souza Lara Leão, Benicio Oton de Lima, Marcio Ferreira Marcelino