XIII Congresso Brasileiro de Neurocirurgia Pediátrica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Escolhas terapêuticas nos astrocitomas: uma revisão bibliográfica

Objetivo

Relatar os tipos de astrocitomas e suas opções terapêuticas.

Materiais e Métodos/Casuística

Trata-se de um estudo de revisão da literatura realizada no período de 2011 a 2017, com base na seguinte pergunta norteadora: quais são os tipos de astrocitomas e quais as opções terapêuticas e suas consequências? A pesquisa foi realizada com a procura do descritor astrocitoma no DescBVS; após a obtenção do mesmo, foram utilizados 7 filtros, no portal regional do BVS, restando 2 artigos que foram utilizados na íntegra.

Resultados

Dividem-se as células do sistema nervoso central (SNC) em neurônios e células gliais, estas compõem de astrócitos, oligodendrócitos, micróglia, epêndima etc. Os gliomas são os tumores que têm origem nas células gliais, sendo os astrocitomas os tumores cerebrais mais frequentes na infância. Os astrocitomas são classificados em baixo grau de malignidade e alto grau, e esta classificação depende da celularidade, do grau de anaplasia, da necrose e da neovascularização. Os gliomas malignos do SNC são lesões de alta agressividade clínica nas crianças e as medidas terapêuticas utilizadas (neurocirurgia, a radioterapia local e a quimioterapia) não alteram a sua evolução fatal, apesar de elevarem a sobrevida. A escolha da terapêutica a ser adotada divide os neuro-oncologistas, sendo parte destes favoráveis à ressecção cirúrgica mais ampla possível e outra parte favorável à conduta expectante nos casos em que os tumores são pequenos e as crises controladas, para evitar os efeitos deletérios potenciais do tratamento cirúrgico em paciente com chance de sobrevida longa. As maiores críticas a este tipo de conduta estão no fato de que os exames de imagem não são capazes de diagnosticar o tipo histológico do tumor com seu grau de malignidade.

Discussão e Conclusões

Portanto, a escolha terapêutica deve englobar diversos fatores clínicos e prognósticos, levando em consideração os riscos cirúrgicos e seus possíveis benefícios.

Referências bibliográficas

EMRAH, C. et al. High-Definition fiber tractography in evaluation and surgical planning of thalamopeduncular pilocytic astrocytomas inpediatric population: case series and review of literature. Worl Neurosurg, Feb 2017.
SHIMRIT, U. et al. Pediatric temporal low-grade glial tumors: epilepsy outcome following resection in 48 children. Childs Nerv Syst, Sep. 2011.

Palavras Chaves

astrocitomas; conduta expectante; neurocirurgia.

Área

Neurocirurgia Pediátrica

Instituições

Faculdade Santa Maria - Paraiba - Brasil

Autores

Mariane Estevão Teixeira, Rízia Ferreira Cavalcante, Luanna Ferreira Cavalcante, Kayo Fernandes Florencio, Carlos Rocha Melo, Ayli Micaelly Silva, Ayslane Patrícia Macedo, Ayana Formiga Cartaxo, Renata Sousa Rolim